Plantas Medicinais

Plantas Medicinais: Babosa

Plantas Medicinais: Babosa

Botânica

Nome científico: Aloe vera (L.) Burm.

Sinonímia: erva–babosa e caraguatá.

Origem e descrição da planta: originária da África oriental e meridional, a babosa é uma planta herbácea que mede de 60 cm a 1 m de altura; possui folhas carnosas, grossas e suculentas, quase triangulares, ricas em muco mucilaginoso translúcido no centro e amarelado próximo à epiderme.

O caule é curto, achatado e grosso e as flores são hermafroditas, tubuladas, dispostas em cachos terminais densos, de cor amarela esverdeada.

Planta medicinal – Babosa

Cultivo

Hábito de crescimento: arbusto.

Ciclo da planta: perene.

Propagação: multiplica–se por filhação, cujos rebentos nascem na base da planta-mãe, devendo ser destacados e plantados em sacos plásticos, previamente preparados ou diretamente em covas já prontas.

Forma de cultivo: plantada em covas, com espaçamento de 50 cm entre plantas e 1 m entre fileiras e, em canteiros, com 60 cm entre plantas e 50 cm entre fileiras.

Solo: com exceção dos que encharcam, adapta-se a quase todos os tipos de solo.

Adubação: por ocasião do plantio (em fundação), colocam-se 10 kg de composto orgânico ou esterco de curral, bem curtido, para cada 2 m² de canteiro.

Posteriormente, duas adubações em cobertura por ano, na proporção de 5 kg por m² de canteiro, peneirando-se o adubo e colocando-se nas proximidades do tronco da planta.

Irrigação: duas vezes por semana.

Colheita: colhem-se as folhas mais velhas.

Naturezas química e farmacológica

Partes utilizadas: folhas, polpa e seiva.

Constituintes químicos: aloína (purgativo), aloquilodina, aletina, aloeferon (cicatrizante) e as vitaminas E e C.

Formas de uso: “in natura” e em formas de xampu e de supositório.

Indicações: topicamente, utiliza-se sobre infecções, queimaduras, eczema, erisipela, queda de cabelo etc.

A folha, despida de cutícula, é usada, internamente, como supositório calmante de retites hemorroidais e, externamente, nos casos de entorses, contusões e dores reumáticas.

Toxicologia: não deve ser usada, internamente, em crianças e nem ingerida por mulheres durante a menstruação ou a gravidez.

O seu uso interno também deve ser evitado nos estados hemorroidários.

Receitas caseiras

Xampu:

Indicações: no tratamento da caspa e da queda de cabelos.

Ingredientes: 7 folhas grandes de babosa, 200 gramas de sabão de coco, ½ litro de água, ½ colher (café) de vinagre branco e 1 medida (tampa) de xampu.

Modo de preparar: corta-se o sabão em pedaços pequenos, junta-se com 250 ml de água e levar ao fogo até derreter.

À parte, raspa-se a mucilagem (gel) da babosa, mistura-se com os 250 ml restantes de água e passa-se no liquidificador.

A seguir, juntam-se as duas misturas, leva-se ao fogo até ficar de cor rosada, mistura-se o vinagre, retira-se a panela do fogo, adiciona-se o xampu e deixa-se esfriar antes de embalar.

Prazo de validade: prepara-se a quantidade suficiente para uso em torno de uma semana, agitando toda vez que for utilizar.

Links Úteis:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.