Aprenda a fazer um Benzimento PRÁTICO e SIMPLES que vai ajudar você e sua família abrir caminhos, eliminar negatividades e para Melhorar a sua saúde física e espiritual!

Plantas Medicinais

Manipulação das plantas medicinais: xarope e pomada

Manipulação das plantas medicinais: xarope e pomada

Manipulação de plantas medicinais

Plantas medicinais - xarope e chá - Plantas e Hortaliças

 

Xarope ou lambedor

Os xaropes são utilizados, normalmente, nos casos de tosses, dores de garganta e bronquite.

Preparação do xarope

a) Com açúcar ou rapadura:

  • Para fazer a calda, misturam-se açúcar mascavo ou rapadura e água, na proporção de duas partes para uma, como por exemplo, duas xícaras de açúcar para uma xícara de água, leva-se a mistura ao fogo onde, em poucos minutos, há completa dissolução, ficando a calda pronta, com maior ou menor consistência, conforme o tempo que permanecer no fogo.
  • Baixa-se o fogo e adiciona-se uma parte de ervas, preferencialmente frescas e picadas e mexe-se durante 3 (três) a 5 (cinco) minutos.
  • Côa-se o xarope e guarda-se em frasco de vidro.

b) Com mel:

  • Quando se utiliza o mel em substituição ao açúcar, ao invés de aquecer, adiciona-se, em temperatura fria, o suco da planta, a decocção (líquido composto pelo princípio ativo da planta medicinal extraído através da água em ebulição) ou a infusão.

Observações:

– As decocções e as infusões podem servir de base para o xarope, adicionando-se o açúcar, diretamente, podendo-se submetê-lo a um leve aquecimento para facilitar a dissolução.

– A quantidade de plantas a ser adicionada em cada xarope varia de acordo com a espécie vegetal.

– O xarope pode ser guardado na geladeira por período de, até, 30 dias.

– A adição de gotas de tintura de própolis no xarope, além de ser uma medida terapêutica, ajuda na conservação do mesmo.

– Obviamente, em razão da utilização da grande quantidade de açúcar, os xaropes não devem ser usados por diabéticos.

Ungüento ou pomada

Os ungüentos e as pomadas podem ser preparados com o sumo da erva, a tintura ou os chás mais concentrados, misturando-se um desses ingredientes com gordura animal, gordura vegetal (óleo de coco) ou vaselina sólida.

Preparação do ungüento ou pomada com vaselina sólida

a) Misturam-se, em uma bacia de plástico, 2 (duas) partes de vaselina, 1 (uma) parte de lanolina ou glicerina e 1 (uma) parte de tintura, mexendose com espátula apropriada.

Obs: As ervas podem, ainda, ser aquecidas na gordura, coadas e guardadas em frascos tampados.

Preparação dos ingredientes

Tintura

Também conhecida como tintura-mãe, é a maneira mais simples de conservar os princípios ativos de muitas plantas medicinais, pois essas substâncias, em sua maioria, são solúveis em álcool, podendo este fitoterápico ficar armazenado por período de até um ano.

A tintura é uma maceração especial onde o diluente é o álcool, dando-se preferência ao de cereais.

Modo de preparar

Utilizando planta fresca

Misturam-se 1 (uma) parte da planta fresca com 5 (cinco) partes de álcool 80% (8 partes de álcool para 2 de água), como por exemplo, 100 g de folhas frescas com 500ml de álcool.

Utilizando erva seca

Neste caso, a proporção passa a ser 1:10, isto é, 100 g de folhas secas para 1 litro de álcool 70% (7 partes de álcool para 3 de água).

Obs: a mistura permanece macerando por um período entre 3 a 15 dias, devendo ser agitada, diariamente, durante o período e conservada sob a proteção da luz direta. Os princípios ativos presentes nas tinturas alcançam rapidamente a circulação sanguínea.

Utilização

A tintura é usada na forma de gotas dissolvidas em água (uso interno) ou em pomadas, compressas e cataplasma (uso externo).

Modo de preparar

Para preparar o pó da planta, esta deve estar seca, o suficiente, para permitir a sua trituração no pilão ou no liquidificador e, das cascas e das raízes, estas devem ser moídas até se transformarem em pó que deve ser conservado em frasco bem fechado, ao abrigo da luz.

Utilização

Misturado ao leite ou ao mel e em preparos de infusões ou decocções (uso interno) e espalhado diretamente sobre o local ferido ou, antes de ser aplicado, misturado em óleo, vaselina ou água (uso externo).

Suco e sumo

Modo de preparar

O suco

O suco é obtido espremendo-se o fruto da planta medicinal.

O sumo

O sumo é obtido triturando-se a planta medicinal fresca num pilão (partes pouco suculentas) ou em liquidificador ou centrífuga doméstica, acrescentando- se um pouco de água, se a planta contiver pequena quantidade de líquido, deixando-se em repouso durante 1 (uma) hora e triturando-se novamente para, só então, recolher o líquido liberado.

Obs: esta preparação somente deve ser feita no momento do uso.

Infusão

Na preparação da infusão utilizam-se todas as partes das plantas medicinais que são ricas em componentes voláteis, de aromas delicados e princípios ativos que se degradam pela ação combinada da água com o calor prolongado.

Nos casos das plantas que possuem grande quantidade dessas substâncias e quando se tratam das partes tenras (flores, botões e folhas), facilmente degradáveis, recomenda-se a maceração, que é uma infusão a frio.

Modo de preparar

As infusões são obtidas fervendo-se a água e derramando-se sobre a erva, inteira ou picada, colocada num recipiente, na proporção de 1 (uma) colher (sopa) de erva fresca para 1 (uma) xícara de água, deixando-se o recipiente tampado por 10 a 15 minutos.

Após esse repouso, o infuso deve ser coado e utilizado no mesmo dia.

Maceração

Preparação, realizada a frio, que consiste em colocar a parte da planta medicinal dentro de um recipiente contendo álcool, óleo, água ou outro líquido extrator. As plantas com possibilidade de fermentação não devem ser preparadas dessa forma.

Modo de preparar

Pica-se a planta, coloca-se num recipiente e deixa-se macerando, em lugar fresco e protegido da luz solar direta, podendo-se agitar periodicamente.

As folhas, flores e outras partes tenras ficam macerando por 10 a 12 horas, enquanto as partes mais duras, por 18 a 24 horas.

Findo o tempo de maceração, filtra-se o líquido, podendo-se acrescentar, caso necessite, diluente (líquido extrator), para obter o volume final desejado.

Inalação

Normalmente recomendada para problemas do aparelho respiratório, nesta preparação utiliza-se a combinação do vapor de água quente com as substâncias voláteis das plantas aromáticas.

Modo de preparar

Coloca-se a erva fresca numa vasilha com água fervente, na proporção de uma colher (sopa) para ½ (meio) litro de água e vai-se aspirando, em ritmo constante e lento durante 15 minutos, contando até três durante a inspiração e, novamente, quando expelir o ar.

O recipiente pode ser mantido no fogo para haver contínua produção de vapor.

Usa-se um funil de cartolina ou papel-jornal ou, ainda, uma toalha sobre os ombros, a cabeça e a vasilha, para facilitar a inalação do vapor.

Para as crianças, recomenda-se a utilização de equipamentos elétricos especiais, pois há riscos de queimaduras.

Compressa

De uso tópico (local), a compressa atua pela penetração dos princípios ativos contidos na planta através da pele.

Utilização

Na compressa, que pode ser quente ou fria, utilizam-se panos, chumaços de algodão ou gazes embebidos em uma preparação dissolvida em água, dos tipos: infuso, decocto, sumo ou tintura da planta.

Decocção

Preparação normalmente utilizada para as ervas não-aromáticas que contêm princípios ativos estáveis ao calor e para as sementes, raízes e cascas, que são as partes de maior resistência à ação da água quente.

Modo de preparar

Coloca-se a parte da planta em água fervente, na quantidade prescrita, cobre-se o recipiente e deixa-se ferver, em fogo baixo, por 10 a 20 minutos.

Após o cozimento, deixa-se em repouso por 15 minutos e côa-se, devendo o decocto ser utilizado no mesmo dia.

Banho

Os banhos podem ser parciais ou de corpo inteiro e são normalmente indicados uma vez por dia.

Modo de preparar

a) Mistura-se na água do banho uma infusão ou uma decocção, mais concentrada.

b) Outra maneira indicada é colocar as ervas em um pano fino (sachê) e deixar boiando na água do banho.
Cataplasma

A cataplasma pode ser obtida por diferentes maneiras de preparo:

a) Amassam-se as ervas frescas e bem limpas, envolvem-se em um pano fino ougaze ou aplicam-se diretamente sobre a parte afetada.

b) Transformam-se as ervas em pó, mistura-se esse pó com água, chá ou outras preparações, envolve-se a mistura em um pano fino e aplica-se sobre as partes afetadas.

c) Mistura-se a planta fresca ou uma preparação dos tipos infusão e tintura com água, geralmente quente e farinha de mandioca ou de milho.

​E-BOOK GRATUITO: Benzimento com Louro

​E-BOOK GRATUITO: Benzimento com Louro

Aprenda a fazer um Benzimento PRÁTICO e SIMPLES que vai ajudar você e sua família abrir caminhos, eliminar negatividades e para Melhorar a sua saúde física e espiritual!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Eu disse:

    quero aprender, cada vez mais, para poder curar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.